Professora denuncia governo Wilson Lima e Seduc pelo não cumprimento da liminar do afastamento dos professores

O governo Wilson Lima e a Secretaria de Educação e Desporto (Seduc) este ano estão se superando em escândalos. Em denúncia exclusiva para o Amazônia Press, da professora Viviane Mendes, contendo prints da conversa entre o Procurador do MPT e o Secretario de Educação Luis Fabian, e de funcionários da secretaria que não querem fazer cumprir a liminar.

A professora Viviane Mendes Couto, conta que nesta manhã esteve na Seduc para dar entrada no laudo de Comorbidades e mais uma vez não conseguiu dar procedimento. Ela foi ao Protocolo, e depois lhe encaminharam para a Gerencia de Serviço Social (GERVS).

“Do Gervs, me enviaram para o setor de lotação e lá disseram que não poderiam receber o meu laudo, pois teria que ter data. E que estaria naquele momento havendo uma reunião para definir o procedimento. Mas até o momento ela não poderia receber”, afirmou a professora Viviane.

A Seduc insisti em não cumprir com o segundo mandato que foi expedido pelo Tribunal Superior do Trabalho. “Mas uma vez a Seduc ri das nossas caras. Até quando isso vai acontecer ? Hoje tem professores indo trabalhar doentes sem o amparo da Justiça, sem o cumprimento da liminar. A Justiça e a Seduc fingem que não vê “, afirma a professora.

No dia 09, deste mês, a professora Viviane esteve presente com outros membros do Sindicato dos Professores, na ocupação no prédio da Seduc para uma conversa com o Secretário da Seduc Luis Fabian, e lá ele confirmou que bastava o laudo sem data de afastamento. O procurador, Jorsinei Dourado, do MPT cobrou e ele respondeu;

A professora afirma que toma 5 controlados por dia, e adquiriu sua comorbidades em exercício do trabalho. “Já sou readaptada. As escolas hoje da Seduc são focos de contaminação, tem de 10 a 20 professores contaminados e tenho como provar porque todos os dias recebemos exames e passamos para o Procurador do MPT para formalizar a denuncia e nada é feito”, afirmou a professora.

Até o fechamento da matéria não obtivemos resposta da Secretaria de Educação (Seduc).

 

Fonte: Amazonia Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *